Check-up de Próstata 

Todos os homens com mais de 45 anos devem realizar o exame de próstata. O procedimento consiste no toque retal e análise de sangue para checar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). No caso do PSA estar elevado ou do toque retal ser alterado, se faz necessária a biópsia de próstata. É ela que define qual o tratamento mais adequado. Homens com histórico familiar da doença devem iniciar os exames mais cedo, aos 40 anos, devido ao fator genético que potencializa os riscos. Quando diagnosticado precocemente, a chance de cura nos casos de câncer de próstata diminui para 90%.

 

Câncer de Próstata

É o tipo de câncer que ocorre na próstata: glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis. Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A maioria, porém, cresce de forma tão lenta que não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do paciente. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma).

 

Na maioria das vezes, o câncer de próstata é assintomático. Sintomas podem aparecer conforme o avanço da doença e ocorrem em outras patologias, conforme descrito abaixo:

 

Sintomas

 

  • Fluxo de urina fraco ou intermitente;

  • Vontade súbita de urinar;

  • Micção frequente (principalmente à noite);

  • Problemas para iniciar o fluxo de urina;

  • Sensação de resíduo após urinar;

  • Dor ou ardor ao urinar;

  • Sangue na urina ou sêmen;

  • Dor nas costas e quadris.

 

Em sua fase inicial, o câncer de próstata tem evolução silenciosa. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite). Na fase avançada pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou outros sintomas sistêmicos.

Diagnóstico

 

O câncer da próstata pode ser identificado com a combinação de dois exames, a dosagem de PSA, exame de sangue que avalia a quantidade do antígeno prostático específico, e o toque retal. Como a glândula fica em frente ao reto, o exame permite ao médico palpar a próstata e perceber se há nódulos ou tecidos endurecidos (possível estágio inicial da doença). O toque é rápido, indolor e feito com o dedo protegido por luva lubrificada. O toque retal identifica outros problemas além do câncer de próstata e é mais sensível em homens com algum tipo de sintoma. O PSA tende a aumentar de acordo com o avanço da idade. Dependendo da região da próstata, o câncer também pode não ser palpável pelo toque retal. A melhor estratégia é realizar os dois exames, já que são complementares. A biópsia é o único procedimento capaz de confirmar o câncer. A retirada de amostras de tecido da glândula para análise é feita com auxílio da ultrassonografia. Pode haver desconforto e presença de sangue na urina ou no sêmen nos dias seguintes ao procedimento, e há risco de infecção, o que é resolvido com o uso de antibióticos. Outros exames de imagem também podem ser solicitados, como tomografia computadorizada, ressonância magnética, cintilografia óssea (para verificar se os ossos foram atingidos) e o exame mais moderno o PET-PSMA.

 

Tratamento

 

Para doença localizada (que só atingiu a próstata e não se espalhou para outros órgãos) as opções de tratamento são: cirurgia, radioterapia, ou observação vigilante (em algumas situações especiais). Para doença localmente avançada recomenda-se o tratamento multi-disciplinar, sendo que na maioria dos casos, os pacientes devem começar com a cirurgia. Para doença metastática (quando o tumor já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento mais indicado é a terapia hormonal. A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após médico e paciente discutirem os riscos e benefícios de cada uma das opções.

Graças à conscientização populacional a grande maioria dos pacientes são diagnosticados nas fases inicias o que possibilita a cura em mais de 90% dos casos.

Prevenção

 

Alguns médicos recomendam a realização do toque retal e da dosagem do PSA a todos os homens acima de 50 anos. Para aqueles com história familiar de câncer de próstata (pai ou irmão) antes dos 60 anos, o ideal é realizar esses exames a partir dos 40 anos. Entretanto, vale lembrar que somente o médico pode orientar quanto aos riscos e benefícios desses exames. Não existem evidências de que a realização periódica do toque retal e dosagem de PSA em homens que não apresentem sintomas diminua a mortalidade por câncer de próstata. Manter uma alimentação saudável, não fumar, ser fisicamente ativo e visitar regularmente o médico, são hábitos recomendados para a melhoria da saúde em geral, além de  prevenir a ação deste câncer.

 

Dúvidas:

Consultórios em São Paulo-SP:

 

Hospital Israelita Albert Einstein - Perdizes

Rua Apiacás, 85, 3º andar, sala 13.

Hospital Israelita Albert Einstein - Morumbi

Av. Albert Einstein, 627, 1º andar, sala 111.

Rua Alves Guimarães, 462 Sala 31.

 

Telefones:  (11) 99533-1609 (11) 2639-6223

E-mail: drguilhermepadovani@gmail.com

  • LinkedIn Social Icon
  • Wix Facebook page