Hérnia Inguinal

A hérnia inguinal ocorre quando uma alça intestinal se projeta por uma falha da parede abdominal, criando uma proeminência na região da virilha ou no saco testicular. Pode ser congênita, devido à má formação do feto, ou adquirida ao longo da vida, geralmente quando há alguma fraqueza na musculatura abdominal. Dentre todas as hérnias abdominais, a inguinal é a mais comum, cerca de 70% dos casos, sendo vinte vezes mais frequentes em pacientes do sexo masculino.

Nos homens o ponto de fraqueza é o canal inguinal, onde passa o cordão espermático vindo do testículo. Nas mulheres, a hérnia ocorre no ponto de inserção do útero ao osso púbico. No caso dos bebês, um a cada 20 pode nascer com hérnia inguinal. É uma complicação mais frequente em meninos e pode ser identificada através do abaulamento na região da virilha.

Tipos de Hérnias

Hérnia direta: forma-se diretamente num ponto da parede abdominal enfraquecida, anatomicamente medial aos vasos epigástricos, promovendo o abaulamento do conteúdo abdominal na região inguinal.

Hérnia indireta: forma-se pela passagem do conteúdo abdominal para o interior da bolsa que envolve o testículo através de um ponto frágil, o anel herniário, anatomicamente medial aos vasos epigástricos.

Sintomas

A hérnia inguinal geralmente é apresentada como um abaulamento na região da virilha ou escrotal e de duas a cada três surgem do lado direito. Pode ser visível o tempo todo ou somente quando o paciente faz algum esforço que aumente a pressão intra-abdominal, como tossir, chorar, fazer força para evacuar ou pegar algum peso.

As hérnias não redutíveis são chamadas de hérnias encarceradas e possuem maior risco de sofrer estrangulamento, que pode levar à necrose do tecido. Os sinais e sintomas de uma hérnia estrangulada são:

  • Náuseas e/ou vômitos;

  • Febre;

  • Dor súbita que se intensifica de forma rápida;

  • Uma hérnia que se torna vermelha, roxa ou escurecida;

  • Interrupção das evacuações e da eliminação de gases intestinais;

  • Irritação e choro persistente nos bebês.

Diagnóstico

As hérnias inguinais são facilmente diagnosticadas em simples avaliações clínicas, apalpando a região afetada, havendo necessidade de exames de imagens para análise da extensão e tipo de ruptura.

Tratamento

O tratamento-padrão é cirúrgico e deve ser realizado o quanto antes após o diagnóstico, principalmente nos casos de hérnias aprisionadas. A cirurgia robótica, considerada minimamente invasiva, é uma evolução da cirurgia laparoscópica e muito eficaz no tratamento de hérnias inguinais. O cirurgião introduz a câmera e os instrumentos de trabalho no interior do corpo do paciente por meio de pequenas incisões feitas pelo robô. Com isso, o médico tem uma excelente visão para realizar a cirurgia, além de contar com movimentos precisos dos braços robóticos. Isso faz com que os pacientes sintam menos dor no pós operatório, fiquem menos tempo afastados e voltem às atividades físicas mais rapidamente.

A recuperação pós-operatória da hérnia costuma ser rápida. Geralmente no mesmo dia ou no dia seguinte o paciente recebe alta hospitalar, mas deve seguir algumas orientações médicas, como não fazer esforço físico por dez dias.

Dúvidas:

Consultórios em São Paulo-SP:

 

Hospital Israelita Albert Einstein - Perdizes

Rua Apiacás, 85, 3º andar, sala 13.

Hospital Israelita Albert Einstein - Morumbi

Av. Albert Einstein, 627, 1º andar, sala 111.

Rua Alves Guimarães, 462 Sala 31.

 

Telefones:  (11) 99533-1609 (11) 2639-6223

E-mail: drguilhermepadovani@gmail.com

  • LinkedIn Social Icon
  • Wix Facebook page