Hiperplasia Prostática

A Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) é o crescimento benigno da glândula. Trata-se do aumento da próstata, que consequentemente aperta a uretra e afeta o sistema urinário, causando dificuldade para urinar e outras complicações. Atualmente existem tratamentos eficientes para a HPB, inclusive não-cirúrgicos. A Hiperplasia é incomum em homens abaixo de 40 anos e aparece com mais frequência conforme o avanço da idade. É uma doença que afeta aproximadamente 50% dos homens entre 51 e 60 anos. Na idade de 80 anos, 80% dos homens serão acometidos pela doença.

Sintomas

Dificuldade para urinar.
 Pode haver demora para iniciar a micção, que ocorre com fluxo mais fraco que o normal. O paciente pode sentir que há líquido na bexiga mesmo tendo acabado de urinar.

 

Micção frequente. Ocorre diminuição dos intervalos entre as micções por esvaziamento incompleto da bexiga ou por hiperatividade da mesma.

Noctúria. Quando a pessoa precisa acordar várias vezes a noite para urinar.

 

Incapacidade de urinar. Acontece quando a Hiperplasia bloqueia completamente a uretra, podendo danificar permanentemente os rins ou a bexiga. 

Diagnóstico

Existem diferentes análises quando os sintomas são relacionados à micção:

 

  • Exame físico geral e urológico (com toque retal, caso haja necessidade);

  • Exames de sangue - Ureia e creatinina que permitem avaliar a função renal;

  • PSA (antígeno prostático específico) para facilitar a avaliação de possíveis tumores de próstata;

  • Exame de urina tipo I, para avaliar a presença de sangue ou infecção urinária;

  • Exames de imagem como a ultra-sonografia, que permite avaliar a forma e a densidade da próstata, bem como a presença de resíduo elevado de urina na bexiga após a micção.

 

Prevenção


A HPB está diretamente ligada à idade do homem. Alguns estudos relacionam o desenvolvimento da doença com fatores nutricionais. Alimentos ricos em gorduras saturadas e zinco aumentam as chances de Hiperplasia. O consumo de frutas tem efeito contrário. Outros fatores também são citados, como valores altos de PSA, doença cardiovascular prévia, obesidade e diabetes.

Tratamento

Fatores como idade do homem, tipos de sintomas e tamanho da próstata, definem qual o tratamento mais adequado para o paciente com hiperplasia prostática benigna. Os mais indicados são:

Medicação prescrita, caso o paciente tenha sintomas leves e moderados. Podem ser usados separadamente ou em conjunto, sendo os principais remédios:

  • Bloqueadores alfa, como Doxazosina ou Tansulosina: Facilitam a micção, relaxam os músculos da bexiga e fibras da próstata;

  • Inibidores da 5-alfa-redutase, como Finasterida ou Dutasterida: Para diminuição do tamanho da próstata e inibição de processos hormonais; 

  • Tadalafila: Atua na redução dos sintomas de hiperplasia e também é indicado para o tratamento de disfunção erétil.

Cirurgia a laser, tecidos da próstata são aquecidos e dissolvidos com laser através de instrumento cirúrgico introduzido pelo canal da uretra. 

Ressecção transuretral da próstata, tecidos da próstata são extraídos através de instrumento cirúrgico

introduzido pelo canal da uretra.

 

Embolização da próstata, técnica relativamente nova, onde um cateter de 2 mm é introduzido na virilha do paciente para obstrução de um vaso sanguíneo tendo como consequência a diminuição do fluxo de sangue na região.

 

Cirurgia por via laparoscópica e robótica, quando a próstata alcança volume que inviabiliza tratamentos por via uretral, é o método mais indicado para remoção.

Dúvidas:

Consultórios em São Paulo-SP:

 

Hospital Israelita Albert Einstein - Perdizes

Rua Apiacás, 85, 3º andar, sala 13.

Hospital Israelita Albert Einstein - Morumbi

Av. Albert Einstein, 627, 1º andar, sala 111.

Rua Alves Guimarães, 462 Sala 31.

 

Telefones:  (11) 99533-1609 (11) 2639-6223

E-mail: drguilhermepadovani@gmail.com

  • LinkedIn Social Icon
  • Wix Facebook page